4 de dezembro de 2020

‘Em nenhum cenário’ Trump será declarado presidente no dia 3, diz Biden

A campanha do candidato democrata às eleições nos Estados Unidos, Joe Biden, disse nesta segunda-feira, 2, que Donald Trump não será declarado presidente na noite de eleição, marcada para a terça-feira, 3, sob nenhuma circunstância. O ultimato ocorre depois que o portal de notícias Axios publicou que o presidente tem intenção de declarar vitória mesmo que o resultado do colégio eleitoral ainda não esteja claro.

Agora, o Partido Democrata está alertando o país e a mídia para ignorar se o presidente Trump cantar vitória antes que todas as cédulas sejam contadas. Segundo o Axios, o presidente – que perde para o adversário por 9 pontos percentuais nas últimas pesquisas de intenção de voto – disse que vai se considerar reeleito se parecer que está “à frente”, mesmo que estados em disputa não estejam decididos.

“Em nenhum cenário Donald Trump será declarado vencedor na noite da eleição”, disse a gerente de campanha de Biden, Jen O’Malley Dillon, em uma entrevista nesta segunda-feira. O próprio Biden, também em resposta à reportagem do Axios, disse no domingo 1 que “o presidente não vai roubar esta eleição”.

Também no domingo, durante uma coletiva de imprensa, Trump negou que declararia uma vitória antecipada, taxando a notícia de “fake news”. Mesmo assim, ele afirmou que está preparado para enviar uma equipe de advogados para disputar votos em swing states, onde a disputa é acirrada, como a Pensilvânia.

O presidente criticou decisões da Suprema Corte que permitiram a contagem de votos por correspondência após o dia 3 de novembro em alguns estados, dizendo ser “terrível” não saber os resultados na noite da votação. “Assim que a eleição acabar, na mesma noite, vamos entrar com nosso advogados”, declarou.

Os aliados de Trump acreditam que, para manter-se à frente de Biden, ele precisa vencer ou liderar a apuração em Ohio, Flórida, Carolina do Norte, Texas, Iowa, Arizona e Geórgia. Como houve muitos votos pelo correio, devido à pandemia de coronavírus, o resultado oficial pode demorar.

Enquanto isso, a campanha de Biden argumenta que se o democrata vencer nos estados do Michigan, Wisconsin e Pensilvânia, sua vitória é garantida. Segundo projeções da campanha democrata, publicadas nesta segunda-feira, Trump precisará de 61% dos votos no dia da eleição para vencer em Wisconsin e 62% na Carolina do Norte. Enquanto isso, no Arizona, a estimativa é de que o republicano precisaria de 60% dos votos para superar o ex-vice-presidente.

“A intimidação do eleitor é ilegal e será processada em toda a extensão da lei”, disse Bob Bauer, ex-advogado da Casa Branca e conselheiro de Biden, referindo-se às declarações de Trump sobre a vitória antecipada. Bauer afirmou que, se o atual presidente convocar advogados, a campanha do democrata fará o mesmo para “proteger o voto”.

Continua após a publicidade

Fale Conosco
Mande um WhatsApp