Indonésia tenta retirar do mar as caixas-pretas de avião que caiu

ByMax Blanc

jan 11, 2021
Equipes de mergulhadores buscam caixa preta do avião que caiu na Indonésia

Equipes de mergulhadores buscam caixa preta do avião que caiu na Indonésia
EFE/EPA/ADI WEDA

Equipes de mergulhadores tentam recuperar nesta segunda-feira as duas caixas-pretas do avião que caiu na costa da Indonésia com 62 pessoas a bordo, para investigar as razões do acidente.

As equipes de busca e resgate retomaram as operações após localizarem no mar os destroços do avião comercial da companhia aérea Sriwajaya que desapareceu do radar no sábado (9), minutos após decolar de Jacarta.

Indonésia: vídeos mostram destroços de avião no fundo do mar

Bagus Puruhito, diretor da agência indonésia de busca e resgate, informou que foram identificados dois sinais que pertenceriam às caixas pretas do dispositivo – que registram dados de voo e conversas de cabine – e conseguiram delimitar sua localizazação em uma área entre 150 e 200 metros.

Os mergulhadores ainda não encontraram o ponto exato onde os dispositivos estão localizados entre o emaranhado de destroços de aeronaves que se encontram no fundo do mar e a uma profundidade superior a 20 metros. Ao todo, 53 navios e 18 barcos trabalham nas buscas.

Uma das turbinas da aeronave, localizada e recuperada no domingo, já está no porto e os investigadores estão verificando as primeiras pistas que podem explicar o acidente.

O avião, um Boeing 737 registrado em 1994, caiu no mar de Java após decolar do Aeroporto Internacional Soekarno-Hatta, na capital indonésia, com destino a Pontianak.

O contato com a aeronave foi perdido às 14h40 (3h40 em Brasília), 13 minutos após a decolagem e sem o transmissor localizador de emergência (ELT) ter emitido qualquer aviso.

O avião havia mudado abruptamente de direção e estava perdendo altitude em alta velocidade, fazendo com que a torre de controle perguntasse aos pilotos o que estava acontecendo quando desapareceu do radar.

Viajavam na aeronave 50 passageiros, incluindo três bebês e sete outras crianças, e 12 tripulantes, todos de nacionalidade indonésia.